Audrey Kleys

Audrey Kleys

Vereadora em Santos

Assédio nas redes sociais: não estamos interessadas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Mulheres seguem sendo importunadas com comentários e mensagens indesejadas de seus seguidores. Não paquere pessoas casadas. Seja respeitoso!

O que dizer sobre o assédio do público masculino com o feminino hoje em dia? Até onde a sociedade compreende os limites dos relacionamentos sociais? Vislumbramos uma humanidade de selvagens analfabetos no que condiz às relações humanas. Os brasileiros não se dão ao trabalho de checar o perfil de uma pessoa antes de paquerá-la. E assim, as mulheres seguem sendo importunadas com comentários e mensagens indesejadas de seus seguidores animalescos.

Quem nunca foi assediada na rede social que atire a primeira pedra! Arrisco dizer que nunca tivemos que apagar tantos comentários em nossas postagens e bloquear tantos homens em nossas redes sociais. Esse assédio não privilegia cor, nem questão social. Mulheres comuns, artistas, professoras, jornalistas, casadas e até na política o cortejar inescrupuloso se realiza contra as brasileiras. De repente voltamos aos períodos de selvageria, quase como um pedaço de carne, no qual a falta de um arcabouço linguístico e moral dá ensejo a tamanha devassidão.

Entendam que as mulheres não querem ser chamadas de “lindas” por homens estranhos em suas redes sociais. Preferimos elogios profundos à nossa inteligência, trabalho, ou articulação de ideias. Um homem considerar a utilização de denominação “linda” a uma desconhecida em seu perfil profissional demonstra o descabimento de sua personalidade desrespeitosa. Há de se ressaltar que intitular uma mulher como bonita entre amigas é plenamente aceitável, e bem comum no universo feminino. Mas, os elogios masculinos dessa toada nós dispensamos. Envio de fotos então, nem pensar. Não estamos interessadas!

À titulo de exemplificação vale explanar: Olhe o perfil da pessoa antes de enviar qualquer mensagem ou comentário inapropriado de flerte. Perfis profissionais nas redes sociais não estão interessados em azaração. Respeite o propósito do perfil da pessoa. Se a pessoa tem um perfil de educação, por exemplo, ela quer discutir sobre educação, e não receber elogios vazios, nem trocar mensagens banais com desconhecidos. Não paquere pessoas casadas. Seja respeitoso e não um iletrado quanto ao arcabouço de adjetivos.

A convivência social seria bem simples, se todos tivessem noções de etiqueta. Se uma desconhecida casada posta na rede social um feito em sua carreira, você como homem se limite a dar parabéns. Isso é o esperado. Ninguém espera adjetivos referentes às características físicas por uma conquista profissional. Saliente-se que o mesmo vale para o assédio ocorrido em qualquer forma de relações humanas. Todavia, no Brasil o que prevalece de maneira salutar é o assédio masculino ao público feminino, e por isso tem que ser discutido. Não é mimimi. Talvez a limitação intelectual os prive de discernimento do que é inaceitável. Falta repertório, etiqueta e respeito advindos dos homens brasileiros. Simplesmente entendam que não estamos interessadas!

Denise Peres Martins Rezende

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Boa política se faz com TRANSPARÊNCIA RESPEITO 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support